''Um adendo por favor, seres lindos que leem meu blog!
Preciso que entendam, se possível for, uma coisinha (básica), não escrevo textos pondo EU ali, ou então relatando minhas singelas emoções/vivencias/sentimentos... Para isso existem diários e cartinhas, como na pré adolescência. Então, please! São apenas palavras que surgem e acabam encaixando-se, e logo tornam-se uma escrita, uma frase, um texto (legal ou não)
Só queria dizer...''


sábado, 11 de maio de 2013

Ácida, porém doce


Suave e meiga, olhar inigmático, palavras doces e presença sadia!
Uma princesa, donzela eu diria, tímida talvez e um tanto recatada...
E quem a via, sentia!
Voz doce, sorriso sincero, abraço amigo e beijos carinhosos!
Mas, só quem sentia, sabia... O quão devassa ela era, nem santa nem donzela, muito menos recatada!
Ofegante, eufórica e excitante, assim era ela.
Olhar forte, presença marcante de gostos peculiares e palavras pecaminosas... Sim, ela amava e também delirava!
Exalava pecado, não sentia dor, o que sentia era só sabor!
Era ácida, porém doce... E ela adorava.
E então sabia viver entre o elegante e o ofegante, minuciosamente ela sabia.

 Fabíola F. Silveira



Nenhum comentário:

Postar um comentário