''Um adendo por favor, seres lindos que leem meu blog!
Preciso que entendam, se possível for, uma coisinha (básica), não escrevo textos pondo EU ali, ou então relatando minhas singelas emoções/vivencias/sentimentos... Para isso existem diários e cartinhas, como na pré adolescência. Então, please! São apenas palavras que surgem e acabam encaixando-se, e logo tornam-se uma escrita, uma frase, um texto (legal ou não)
Só queria dizer...''


sábado, 18 de maio de 2013

La Vie Est Belle

 Medos, anseios, angustias, dias...
Estamos sujeitos a tudo e a todos, deliberadamente estamos.
Hoje estamos bem, amanhã, quem sabe? Viver dói, viver faz sofrer, mas viver também faz crescer e fortalecer! E eu digo VIVER, não existir, pois existir qualquer ser existe... (uau!)
 Que cada pedaço meu seja deixado suavemente pelo mundo, que cada palavra minha seja guardada exatamente como foi dita, que todas as vezes em que não fui gentil permaneçam assim, e as que fui, foram deveras merecidas! Que cada passo dado tenha valido apena, que cada sorriso solto tenha sido cativado com carinho e que cada conselho dado não tenha sido visto como impertinente.
 Quantas lutas eu vivi e quantas ainda mais irei viver, quanto amor senti e sinto, quantos motivos de por sorrisos a fora eu tive, e quantas lágrimas deixei rolar, e também fiz com que rolassem... E de amor eu vivo e de amor viverei! O que de mim se tem, jamais pode-se dizer ser pouco ou que não baste, pois cada um oferece a medida que possui...
 E todos os atos errôneos e inoportunos eu tive, esses que fazem pensar se há de haver perdão, sim eu os tive, afinal, imperfeito ser humano eu sou! E os delírios e atos insanos, e os risos largos e espalhafatosos, os rumores, as aventuras e, ah! Poxa... E tudo mais o que ainda vem vida a dentro, e eu aqui, vivendo e sentindo, cada sensação que a vida nos faz propiciar, seja gostosa ou dolorosa, seja de paz ou de batalha, mas que tenha vida, e que esta vida seja intensamente vivida!
 E por isso tudo é que me refiro que La Vie Est Belle!!!!
Seja como for, seja como flor, com espinhos, porém exuberantemente bela!


 Fabíola F. Silveira

segunda-feira, 13 de maio de 2013

Tempo

E com o tempo você aprende que não precisa necessariamente de tanta atenção assim, e talvez você nunca sequer quis, apenas tinha, achava demais e queria de menos...
E as coisas mudam, e o tempo passa e você vai descobrindo que pode andar mais lentamente, dormir um pouco mais, chegar mais tarde, ler por mais horas e descobre que passar um tempo em sua própria companhia é melhor coisa a se fazer.
 E descobre que é auto suficiente para si mesmo, que um bom vinho tem lá seu segredo e um bom livro só se interpreta nas entrelinhas.
 Fabíola F. Silveira


domingo, 12 de maio de 2013

Ligada

Eu sou assim, ligada na tomada. Sempre querendo encontrar uma razão pra tudo. Pessoas como eu sofrem mais. Se decepcionam mais. Por outro lado, crescemos. Evoluímos. Amadurecemos. Nada é estático em nossas vidas. Nada é à toa. Tudo ganha uma compreensão, tudo é degrau, tudo eleva.



 Fabíola F. Silveira

sábado, 11 de maio de 2013

Ácida, porém doce


Suave e meiga, olhar inigmático, palavras doces e presença sadia!
Uma princesa, donzela eu diria, tímida talvez e um tanto recatada...
E quem a via, sentia!
Voz doce, sorriso sincero, abraço amigo e beijos carinhosos!
Mas, só quem sentia, sabia... O quão devassa ela era, nem santa nem donzela, muito menos recatada!
Ofegante, eufórica e excitante, assim era ela.
Olhar forte, presença marcante de gostos peculiares e palavras pecaminosas... Sim, ela amava e também delirava!
Exalava pecado, não sentia dor, o que sentia era só sabor!
Era ácida, porém doce... E ela adorava.
E então sabia viver entre o elegante e o ofegante, minuciosamente ela sabia.

 Fabíola F. Silveira



quinta-feira, 9 de maio de 2013

Tempo

Há duas formas de lidar com o tempo;
Ou você o engole ou ele engole você!
Quando você o engole, você o mata, e assim vive como se fosse atemporal, e nada te prende, te define, te maltrata...
Mas se ele te engolir, quem morre é você!


Fabíola F. Silveira 

Viva!

 Como diz minha amiga Fernanda Guiterio,
Mau é NÃO viver... Ah...
Como não concordar contigo querida Fer? Como cantaria Lulu Santos, 'há tanta vida lá fora'...
 Não viver é pecar, pecar pela dor da saudade, da falta de felicidade, da angustia da solidão!
 Cada dia que se verdadeiramente vive, é um dia ganho, e não passado... Ganhaste vida, esperança, sorriso no rosto, mente que voa, coração que acelera.
 Não importa os anos, ou o que eles lhe trouxeram na bagagem, tudo se desprende em certo momento, não é o que te reveste que te faz eterno, corpo é só matéria, um dia se vai... Mas há algo dentro de nós que não se desfaz com o tempo, algo que só cresce, esta dentro, empreguinada. Deixa-a solta e ela te fará sentir que realmente há tanta vida lá fora, e perder tempo com bobagem é coisa pouca...

Visto-me de minha alma, sou ela toda, sou feliz assim...
Ela me mostra um EU que só eu mesma posso ver, e assim reflete-me lindamente por fora!
Que venham os anos e com ele a alegria de Ser, sorrir, amar e VIVER!

 Fabíola F. Silveira

terça-feira, 7 de maio de 2013

Nitroglicerina

O que te põe pra cima?
Te alucina
Te domina
Te fascina...!(?)


Cafeína
Adrenalina
Endorfina..!(?)

O que te joga e pega novamente
Te derruba e levanta
Te assusta e acalma
Te rouba e devolve
Te assalta
Te some
Te acha e te consome! (?)

O que você acharia, dentro do espelho
Se olhastes a sua alma
Se sentisse aquela calma?
E visse a tua imagem
Se te assustasse com a mensagem
E te jogaste pra passagem?

É só você que entende
E só você sente
Não questão da mente
Não é desfoco de lente

Se pudesse ao menos perguntar
Mas, quem iria responder
Nem é questão de poder
Nem ao menos de querer...

Só é mais facil mentir
Do que simplismente sumir...

O que te põe pra cima,
 Nitroglicerina?



sexta-feira, 3 de maio de 2013

A vantagem de ser invisível

Então, esta é a minha vida. E quero que você saiba que eu sou feliz e triste ao mesmo tempo, e ainda estou tentando entender como posso ser assim.

Humano de nós

 E o que pensar das dores alheias se por deveras é tão forte a cruz que nós mesmo carregamos?
 Difícil seria olhar e enxergar ao certo o quanto pode estar sangrando uma alma, se inundados estamos... Convercer-nos que a nós já basta nossas próprias dores seria algo toleravelmente aceito, para que assim pudessemos nos dar ao luxo de querer apenas, suportar o que nos foi/é cabível carregar, sentir, arrastar e por fim, emudecer.
 Seria fácil, porém o fato de sermos, por nós mesmos precionados a abraçar a dor alheia, carregamos então, duas 'cruzes', o que nos gera sofrimento tal, nos levando junto ao outro, chão abaixo.  Onde muito mais útil seria, servir de incentivo, passa a ser um desmotivado ato de ser... Humano.

  

quinta-feira, 2 de maio de 2013

E nunca se sabe

 E mais um dia, lentamente se vai, para que outro
suavemente se chegue!
 Porém, você desperta e vê que o dia entrou com tudo e veio invadindo seu espaço, antes tão seu e agora já não se sabe mais.
 Entrou empurrando o dia que se foi, como quem nada quer ou quer demais... Talvez!
 E eu, na angustia de (tentar) acompanha-lo vou me perdendo e me achando, me juntando e (re)montando, numa tentativa quase que absurda de enfim, conseguir...Paz!
 Até que o dia seguinte possa, novamente, invadir-me. E nunca se sabe ao certo, com que humor ele virá para tomar conta e me fazer ser, o que ele, o tempo, deseja. E então, ou você aprende que pode, sim você pode ter/estar no controle, ou então simplismente, deixe-se levar... E só o tempo dirá!

quarta-feira, 1 de maio de 2013

O que tiver de ser, será!

 Será? Sempre me pego desfrutando em pensamentos desta frase, pra mim, tão pouco animadora (?). Sim, oras, deveria eu então, deitar-me em uma deliciosa rede posta á sombra e esperar que venha a mim o que 'tiver de ser'?
 Até que não seria nada desconfortavel, ora pois...
Porém, conhecida como sou pelo mero fato de ser insistente e imediatista (há, como sofro com isso) esta tal frase, apesar de bem tentadora, não cabe a minha pessoa, pois é... Nada 'cai do céu' me parece bem mais realista.
 Não, não seria pessimismo da minha parte, é só aquela vontade de insistir e persistir. Ir em busca, correr, lutar, querer ser/fazer/acontecer! Nem sempre com aquele glamuroso final de sucesso, porém com o imenso prazer de ter desejado, lutado, buscado.
 Nada mais prazeroso que o querer e ir buscar, mesmo que não venha ao 'vosso reino' (nada religioso aí, ok?) Porém, agilidade e versatilidade na vida é tudo! Insista, Persista e não Desista.
Muitas vezes o suor de uma batalha vale mais que a grandeza da vitória.